Loading...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Cientistas desenvolvem tratamento personalizado para viciados em cigarro

Informa��es gen�ticas e h�bitos dos pacientes definem a terapia mais eficaz.

Os fumantes que querem abandonar o v�cio poder�o ganhar em at� cinco anos um novo tipo de tratamento. Cientistas americanos descobriram que, ao combinar informa��es gen�ticas dessas pessoas com os seus h�bitos, fica mais f�cil prever qual a melhor terapia a ser utilizada em cada paciente.

A pesquisa foi publicada na edi��o de julho do peri�dico Molecular Medicine. Segundo os autores do estudo, Jed Rose, do Centro M�dico da Universidade de Duke, e George Uhl, do Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (Nida, da sigla em ingl�s), em tr�s ou cinco anos esse teste pr�tico estar� dispon�vel.

O m�todo consiste em determinar qual o adesivo de nicotina mais indicado para ser usado no tratamento. A partir de uma amostra simples de sangue, os cientistas detectam o n�vel de depend�ncia dos pacientes. Com isso, determinam a dose exata de nicotina que os adesivos devem conter.

De acordo com Rose, isso poder� ser usado por m�dicos para orientar a escolha do tratamento e os adesivos apropriados para cada fumante.

A pesquisa

Foram avaliadas 479 pessoas que fumavam pelo menos 10 cigarros por dia e que tinham a inten��o de parar. Os pacientes foram classificados como de depend�ncia alta ou baixa. Isso determinou se eles iriam usar adesivos com elevadas doses de nicotina ou ent�o os adesivos padr�o, com taxas mais baixas.

Ap�s seis meses de observa��o, Rose e Uhl notaram que as pessoas com alta depend�ncia e uma gen�tica desfavor�vel para largar o cigarro tiveram mais benef�cios quando tratadas com adesivos com altas doses de nicotina. J� as pessoas com baixa depend�ncia se sa�ram melhor com o adesivo padr�o.

- O mapa gen�tico foi usado para prever o sucesso da abstin�ncia de nicotina. No futuro, esse mapa poder� ser usado para decidirmos o tratamento antes de ele come�ar. Atualmente n�o existe um modelo, um guia m�dico, que nos diz qual o tratamento que vai funcionar melhor. � isso o que estamos tentando fazer.


FONTE: PORTAL R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário