Loading...

quinta-feira, 30 de maio de 2013

DIA INTERNACIONAL CONTRA O TABACO TEM QUE SER 365! TODOS OS DIAS!

]


31/05 - DIA INTERNACIONAL CONTRA O TABACO
www.institutochicoanysio.org

Chico Anysio me disse várias vezes que, ao acordar, todos os dias desde criança, agradecia pelo simples fato de estar vivo, pois, desde cedo tinha consciência de que “A Morte era a única certeza da Vida”.

Pena que na sua adolescência ninguém conseguiu ajudá-lo a tomar consciência, de que, a morte apesar de inevitável pode ser menos cruel e dolorosa, uma vez que, tomemos controle sobre a nossa vida.

Chico nasceu e cresceu numa época de pouco esclarecimento científico. Ele foi de uma das gerações que mais sofreu com as transições tecnológicas, capazes de enlouquecer a qualquer pessoa e muitos, infelizmente se perderam pelo caminho.
Àquela geração, tentando encontrar um solo firme onde pudesse pisar e se construir, foi vítima da ganância e muita maldade, no caso do Chico, destaco a indústria do cigarro.

Ele começou a fumar aos 15 anos influenciado pelas estrelas de Hollyhood e pela pressão dos colegas, já que foi o último da sua turma a se tornar um fumante. Claro que, naquela época o cigarro não era tão maléfico, mas ao longo dos quarenta anos seguintes, ele se tornaria um dos maiores assassinos da humanidade e isso, graças ao poder dos aditivos químicos que foram sendo adicionados ao tabaco, sempre c o objetivo de causar maior dependência em seus usuários.

Os consumidores, no entanto, não tinham consciência de que a droga viria a se tornar uma das maiores causas de morte no futuro.

A indústria do cigarro, detentora de tecnologias de ponta, sempre foi conhecedora dos malefícios que o cigarro causava e em momento algum tomou qualquer precaução para evitar que o mundo vivesse a epidemia que vive atualmente.

Chico Anysio tomou conhecimento do estrago que o cigarro havia causado em seu corpo aos 53 anos, quando, após um infarto, seu enfisema pulmonar foi detectado.

Mesmo parando de fumar naquele momento, Chico já era portador de uma doença obstrutiva crônica que evoluiria com o passar dos anos e que comprometeria sua qualidade de vida.

Quando o conheci, aos 67 anos, ele havia parado de fumar há 14, mas já sofria muitas limitações causadas pela doença. Por ter estudado fisioterapia, eu tinha consciência do problema e sabia que juntos enfrentaríamos uma jornada difícil.

Eu nunca poderia imaginar, no entanto, o quanto o elo emocional que eu e Chico tínhamos tornava diferente a relação que eu tive com os outros portadores de enfisema da época da faculdade. Ver alguém a quem você ama sem conseguir respirar é uma dor inexplicável, uma experiência dolorosa e comovente.

O Instituto Chico Anysio nasceu num momento em que a morte nos rondava diariamente e víamos nela a dor de saber que tudo poderia ter sido diferente. Chico estava absolutamente consciente de tudo o que se passava, já que, sua memória estava perfeita. Ele continuava produtivo e vivia o auge da sua capacidade criativa enquanto o corpo morria lenta e dolorosamente.

“Eu viveria tudo novamente. A única coisa da qual me arrependo é ter fumado”. Ouvi isso dezenas, centenas de vezes e só pude secar as lágrimas que escorriam de seus cansados olhos quase azuis, lhe dar a mão e estar presente. Meu coração, no entanto, gritava de dor e de impotência diante de uma situação que poderia ter sido evitada.

O Chico era inteligente o bastante pra ter entendido que ele tinha a opção de viver uma vida “diferente da de sua turma”. Ele entenderia que poderia se tornar a maior estrela do humor brasileiro sem fazer uso do tabaco, mas infelizmente viveu num mundo de ignorância em relação a este vício.

Na adolescência, ele não teve a oportunidade de conhecer nenhuma campanha anti-tabagismo, nem de ter acesso às informações manipuladas pelos seus assassinos.

No dia 23 de março de 2012 o CIGARRO MATOU UM GÊNIO. Eu continuo aqui, VIVA... sigo lutando pra ter saúde física e mental e dando continuidade ao sonho de Chico Anysio para que, através de seu Instituto possamos “AJUDAR O MUNDO A RESPIRAR MELHOR”.

IMPORTANTE:
- O Cigarro Mata 50% dos seus usuários
- O tabagismo é a maior causa de mortes evitáveis no planeta.
- O Governo brasileiro gasta + de 20 bilhões de reais por ano para tratar de doentes portadores de DPOC (Doenças Bronco-pulmonares Obstrutivas Crônicas), com resultados pouco efetivos.
- A maior esperança de tratamento e cura é a pesquisa do Dr. João Tadeu Ribeiro Paes de Assis em SP e encontra-se paralisada por falta de investimento (aproximadamente 1 milhão de reais).
- O Dr. João Tadeu Ribeiro Paes com o apoio do Instituto Chico Anysio, conseguiu uma verba de 200 mil reais de uma emenda parlamentar através do CNPQ, mas o órgão não libera estes valores por motivos cada dia mais injustificáveis, enquanto isso... As pessoas estão morrendo...

SOCORRO precisamos de vocês. Ajudem a divulgar a nossa causa e colaborem com ela (Malga Di Paula)

Nenhum comentário:

Postar um comentário